quinta-feira, maio 20, 2010

O Pechiché


“Vai lá dentro ao meu quarto buscar uma tesoura que deixei em cima do pechiché”.


Foram tantos os anos que ouvi falar no pechiché e tantas as gerações que escutaram o termo. Era, então, muito usual. Mas o que era de facto o pechiché? Aposto que muita gente, sobretudo a mais jovem, não faz a mínima ideia.


Pois o pechiché é um móvel bem ao estilo “art déco”, muito em moda nos anos 20 e 30 do século passado, com um espelho a meio, que fazia parte das mobílias de quarto. O da casa dos meus pais era um móvel simpático, largo e sobre o baixo, com três blocos que se ligavam entre si e todos eles com espelhos, sendo que o espelho maior era a do corpo central.


Há quem diga que aquilo que nós conhecíamos como pechiché era, afinal, uma “coiffeuse ou, em português, um toucador, porque, esse sim, tinha três espelhos.


A maior parte das mobílias era simples e, muitas delas, eram feitas de uma madeira que até nem era de grande qualidade. De qualquer modo, na época, qualquer quarto que se prezasse não prescindia de uma cama, duas mesas-de-cabeceira, um guarda-vestidos, às vezes uma cómoda e, claro, um pechiché.


Que saudades! Guardo na memória de tantos anos, viva como se fosse hoje, a lembrança do pechiché (que se calhar até era um toucador) do quarto dos meus pais.