domingo, fevereiro 25, 2007

Falta de tempo


Carta de Fernando Pessoa a Armando Côrtes-Rodrigues (poeta e prosador açoreano –1891/1971), datada de 19 de Setembro de 1915.


Meu caro Côrtes-Rodrigues

Felizmente para mim tenho tido bastante que fazer. Sobra-me tempo apenas, portanto, para estas linhas. Escrevo-lhe para lhe dizer que não lhe não posso escrever: é mais um paradoxo do muito e sempre seu

Fernando Pessoa

1 Comments:

At quinta-feira, março 01, 2007 10:04:00 da tarde, Anonymous aindaassim said...

Como diria o próprio Fernando Pessoa "O valor das coisas
não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem.
Por isso existem momentos inesquecíveis,
coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis".

 

Enviar um comentário

<< Home