terça-feira, janeiro 31, 2012

O saneamento de um bom jornalista



Estava curioso para ver se os “Prós e Contras” da RTP 1 desta segunda-feira tinham já recuperado da (deprimente) emissão transmitida directamente de Luanda há duas semanas. O programa que tinha sido denominado “O Reencontro” foi, na minha opinião, demasiado mau e não sei se muitos tiveram estofo para aguentar até ao fim. Mas quem o conseguiu, assistiu a uma subserviência injustificável por parte dos portugueses convidados, por contrapartida de alguma sobranceria das personalidades angolanas presentes. Um programa em que as palavras dos portugueses foram convenientemente pensadas antes de serem proferidas não fosse o actual poder económico angolano pregar-nos alguma partida e ir assentar arraiais para outro lado.


Não gostei do que ouvi, não gostaram, porventura, muitos mais, mas isso não teve qualquer consequência. Quem também não gostou e teve a coragem de o dizer na crónica que assinava na Antena 1 foi o jornalista Pedro Rosa Mendes, um dos bons jornalistas que ainda existem em Portugal.


Mas as palavras que foram ditas por este jornalista (incómodo pela sua verticalidade, seriedade e talento) nessa sua (derradeira) crónica não devem ter agradado às elites portuguesa e angolana e o Pedro foi dispensado, ou melhor, foi saneado sem dó nem piedade ao jeito do autoritarismo de outros tempos, que a revolução ainda não conseguiu apagar.


Pode ter sido coincidência. Não acredito em bruxas, "pero que las hay..." .