terça-feira, dezembro 11, 2012

Como é possível haver tanto desperdício alimentar em Portugal?


Terminou há poucos dias mais uma recolha do Banco Alimentar Contra a Fome e a generosidade dos portugueses foi, de novo, tocante. As muitas dificuldades porque passamos e a carência de um número cada vez maior de famílias sensibilizou milhares de pessoas que quiseram colaborar no apoio a quem mais necessita.

Porém, e isto é chocante, a par desta solidariedade fantástica, sabe-se agora que, por ano, um milhão de toneladas de alimentos vai para o lixo. Isto é, quase um quinto da nossa alimentação vai directamente para o lixo.

É uma chamada de atenção a toda a sociedade, da produção à cozinha de todos nós. E precisamente nas nossas casas é onde mais se desperdiça alimentos (fora de prazo, restos, comida estragada).

Muito embora bastante abaixo da média europeia (30%), o desperdício que se verifica em Portugal representa 17% do que se produz no país. Ainda assim demasiado face às carências da população. Um desaproveitamento injustificado. A não ser (e é a única desculpa que ainda pode ter algum perdão) que se verifique uma gestão desadequada (que terá que ser rectificada rapidamente) quer nos vários organismos da cadeia alimentar quer nos nossos próprios lares. Ou será que há outras?