terça-feira, março 18, 2014

Quando pensar pode ser um perigo ...



Todos nós somos confrontados diariamente com informação oriunda de diversas fontes: das oficiais, da comunicação social ou proveniente dos inúmeros comentadores que existem por aí. Mas - e esse é que é o verdadeiro problema - o que se retira dessa informação (contraditória, tantas vezes) suscita montanhas de dúvidas ao pacato cidadão que continua a ter a mania de pensar.


Como aconteceu há pouco com o tão badalado manifesto dos 70, que afinal eram 74, de que fizeram parte (por cidadania ou num "assomo de liberdade" como declarou um deles) dois consultores do Presidente da República, documento esse que tanto irritou quer Passos Coelho quer Cavaco Silva. De tal forma, que os dois consultores (Vítor Martins e Sevinate Pinto) foram exonerados.


E a suspeição foi inevitável. De acordo com alguma imprensa, a exoneração verificou-se a pedido dos dois consultores, por não terem comunicado o facto ao PR. Porém, outras fontes, revelam que os dois foram, pura e simplesmente, afastados por deslealdade para com Cavaco. E, a acreditar nesta última hipótese (verosímil à luz das reacções - exageradas e a roçar a boçalidade - a que assistimos, sobretudo por parte do Primeiro-Ministro, nós (os tais cidadãos comuns que temos a mania de pensar) não podemos deixar de questionar se Mário Soares (ainda que por uma outra circunstância) não terá alguma razão quando afirmou há tempos que "Portugal está a caminho de uma nova ditadura". Afinal, como se dizia noutros tempos, "quem não está comigo está contra mim".