segunda-feira, maio 05, 2014

Futebol ... mas não só ...



Já não posso ouvir a estafada lengalenga de que os povos do sul são mandriões e que lhes falta a disciplina, a organização e a vontade de trabalhar. Teoria, de resto, recorrentemente repetida pelos povos do centro e do norte da Europa. Mas, caramba, algumas coisas teremos de bom ...

E a prova disso é que nas duas principais competições europeias de futebol as duas finais vão ser disputadas por equipas que pertencem aos "calaceiros" países do sul. Na final da "Champions" estarão duas equipas de Espanha e na final da Liga Europa, uma espanhola e uma portuguesa. É certo que nem todos os jogadores daqueles clubes são naturais desses países (aqui o meu argumento escuda-se, naturalmente, na globalização) mas todas as quatro equipas são fruto da disciplina, da organização e do muito trabalho feitos nestes países. Às vezes até com integração de jogadores provenientes desses outros países (assim de repente, recordei-me de alguns que jogaram no Benfica: o alemão Robert Enke, o belga Michel Preud'homme, os suecos Schwarz e Mats Magnusson e o dinamarquês Manniche, p.e.) países, sociedades e pessoas muito certinhos e arrumadinhos que tanto desfazem em nós.

Mas só por má fé ou sectarismo primário é que podem apontar o dedo para dizer cobras e lagartos dos países do sul. No que nos diz respeito - Portugal - e para além do futebol (que não é coisa menor) e do sol, e das praias, e da gastronomia, e dos vinhos, e da hospitalidade das nossas gentes, e da monumentalidade e da História do nosso país, temos muitas áreas em que provámos exactamente o contrário de que nos acusam. A não ser assim porque carga de água é que grandes multinacionais (estou a lembrar-me da Siemens e da Auto-Europa, por exemplo) insistem em trabalhar em Portugal, com operários, técnicos e gestores portugueses?

E já nem quero puxar pelos galões, porque se assim fosse, teria que recordar que este pequeno país de malandros (e descansem que não vou até ao tempo dos descobrimentos), tem um Nobel da Medicina e um Nobel da Literatura, cientistas reconhecidos internacionalmente e campeões europeus, mundiais e olímpicos em várias modalidades desportivas. "Coisitas menores" que muitos dos grandes países não se podem orgulhar.