terça-feira, novembro 18, 2014

Imaginação é tudo ...



Vi há tempos em Serralves uma interessante exposição sobre o escritor francês Raymond Roussel, um dos precursores do surrealismo, famoso pelo carácter excêntrico da sua obra. E achei curiosa uma afirmação do escritor: “a percepção da primazia é fundamental na concepção, já que nada colhe do real e a imaginação é tudo”.

Miguel Esteves Cardoso, em entrevista recente, dizia “Há ficção de quem escreve e transpõe para o papel coisas que aconteceram e há ficção totalmente imaginada. Só a imaginada é que é legítima. É uma terrível batota falar-se de coisas que aconteceram, a maior parte dos grandes escritores faz isso, mas é batota”.

Não sei se haverá a tal batota a que se refere o MEC. Assinalo, apenas, a convergência de opiniões entre Raymond Roussel e Miguel Esteves Cardoso. Enquanto modesto escrevinhador de crónicas, relato sobretudo coisas reais embora admita que sinto a maior admiração por quantos conseguem conceber histórias apenas e só fruto da sua imaginação.