sexta-feira, novembro 07, 2014

Vendem-se mais carros. Será que a crise acabou?



Ele é a crise, é a crise mas os números, tal como o algodão, não mentem. E os números dizem que o mercado nacional registou grande dinamismo nas vendas de automóveis ligeiros de passageiros e cresceu 32,2% em Outubro. Ainda bem para todos aqueles que estão ligados ao ramo automóvel e ainda bem para quem tem possibilidade de comprar um pó-pó novo.

Porém, não deixa de ser curioso que seja exactamente nos países "pobres", "intervencionados" e "falidos" que tenha havido o maior crescimento da venda de automóveis. O que nos pode levar a acreditar que a crise económica já é coisa do passado. Mas não, a crise não acabou e, mesmo assim, nos três países com maior crescimento na vendas de viaturas novas - no espaço da Associação Europeia de Comércio Livre - estão duas economias que foram intervencionadas pela troika (Portugal e Irlanda) e um caso de falência (a Islândia). Exactamente o oposto do que aconteceu na chamada Europa rica onde, por exemplo, a Holanda, a Áustria e a Suíça registaram quebras de vendas em termos homólogos nos oito primeiros meses de 2014 e a Noruega, que é um dos países mais ricos do continente europeu, apenas registou um aumento de 2% na venda de carros novos.

Factos são factos mas podem e devem ser lidos com alguma prudência. No caso português, sabe-se que a maioria dos carros vendidos foi para empresas de aluguer de carros. Os outros foram para particulares, alguns dos quais (por que não especular?) talvez só agora tivessem hipótese de trocar de carro. Ainda assim, não deixa de ser curioso ...