quarta-feira, novembro 11, 2009

Até que enfim!


A rebaldaria das viagens acabou. Pelo menos acabou a forma como eram utilizadas até agora. Jaime Gama, Presidente da Assembleia da República decidiu que a partir desta legislatura, doravante e para o futuro, os deputados não vão poder desdobrar bilhetes de avião nem usar em proveito próprio as milhas percorridas em deslocações oficiais.


Eu sei que dava um certo jeito prescindir da utilização da classe executiva para poder viajar com um acompanhante em classes inferiores. Era simpático dar-se aos deputados da nação a possibilidade de alguém viajar com ele e à conta, sem que o Estado pagasse mais por isso. Era o chamado dois em um em que todos ganhavam. Só que, esse esquema, ainda que legal, era em si mesmo imoral e destituído de ética.


Mas não sei se a medida não poderia ter ido um pouco mais além. Afinal, se os Deputados não se importavam de viajar em classe económica só para levar consigo uns familiares ou amigos, será que o regulamento não deveria obrigar a que todas as viagens fossem efectuadas com bilhetes mais baratinhos? Afinal, muitos desses senhores até já o faziam.


Eu sei que a honorabilidade dos cargos exige certos formalismos mas, caramba, o país não está propriamente no melhor dos momentos e esse sacrifício (?) bem poderia ser suportado por pessoas que não devem ser das mais desfavorecidas da nossa sociedade. Pelo menos nas viagens de curto e médio curso. Não concordam?