sexta-feira, novembro 27, 2009

O que o Banco Alimentar faz que mais ninguém faz


Hoje transcrevo parte de um texto escrito pelo jornalista José Manuel Fernandes, publicado no Jornal Público no dia 24 de Dezembro de 2008 com o mesmo título deste post.


José Manuel Fernandes nesta sua crónica natalícia sobre as diversas acções de apoio a pessoas desfavorecidas, refere instituições como a “Comunidade Vida e Paz”, a “AMI” e outras, mas destaca o papel desempenhado pelo Banco Alimentar Contra a Fome durante os doze meses do ano.


Apesar de ter passado quase um ano, e porque estamos em vésperas de nova recolha de alimentos, parece-me oportuno transcrever as suas palavras.


“… O segredo do Banco Alimentar não está nas recolhas regulares de alimentos, que sensibilizam a população e que este ano (2008), apesar da crise, ou por ser de crise, renderam mais do que em anos anteriores. O segredo está na rede de recolha de alimentos que seriam destruídos pelas grandes redes de distribuição e ser capaz de os colocar onde são necessários, onde fazem falta. Não em qualquer guichet onde se tira a senha, mas nas creches, nos lares, nos abrigos, em todas as instituições onde servir uma refeição melhor faz toda a diferença. Muitos dos que são ajudados pelo Banco Alimentar nem suspeitam que o são…”.


Seja através dos excedentes das empresas que colaboram com o Banco Alimentar, seja através de iniciativas do BA que vão acontecendo ao longo do ano e que, na generalidade, não são do conhecimento do grande público, seja pelas recolhas de alimentos que são efectuadas duas vezes em cada ano, tudo o que é conseguido constitui uma ajuda preciosa a quem tanto depende desse apoio para ter uma existência um pouco mais digna …”.


José Manuel Fernandes tem toda a razão. Todas as ajudas são “ajudas preciosas. Segundo a Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares contra a Fome, no primeiro semestre de 2009 foram apoiadas com produtos 1 650 instituições, que concederam ajuda alimentar a mais de 267 mil pessoas comprovadamente carenciadas.


Sábado e Domingo próximos contamos com todos vós.