quarta-feira, novembro 25, 2009

Conversas de café


Nos últimos dias ouvi, um pouco por todo o lado, os ecos da imensa preocupação que vai na alma dos portugueses porque o “Rei da Sucata”, Manuel Godinho – o da “Face Oculta” - conseguiu ganhar seis contratos ao Exército, apesar de estar em prisão preventiva.


Aliás, esta semana, não se ouvia sequer falar de outra coisa que não fosse “o malandro está preso e mesmo assim uma das suas empresas ganhou um concurso público nacional a que concorreram uma data de outras empresas de sucata, cujos patrões ainda estão cá fora”.


O que prova que o Godinho é um belo gestor e que as suas organizações não necessitam da sua presença para fazerem bons negócios. Faz lembrar aquela velha teoria de que quando os árbitros são competentes nos jogos que dirigem nem se dá pela presença deles.


Não sei se esta analogia foi feliz. Tanto mais que se diz tanta coisa dos árbitros … ainda que nenhum tenha sido preso.


O meu desassossego, porém, é outro. Empreendedor como é, temo que Manuel Godinho olhando para as grades da cela onde se encontra, já tenha assegurado a compra das mesmas quando, um dia, forem substituídas.