sexta-feira, março 05, 2010

Joguem o Tetris, meus senhores

Se não me falha a memória, a memória é a segunda grande função do cérebro. E, segundo li, a teoria cognitiva desta capacidade intelectual não foi, até ao momento, tão desenvolvida como a da inteligência, dada a complexidade e tipos de memória existentes.

Daí que não devêssemos valorizar tanto certas “falhas” de memória dos nossos políticos que são tão martirizados quando apanhados nas tortuosas contradições que tecem (por falhas de memória momentânea, já se vê). E nós, cínicos confessos que somos, estamos sempre a postos para classificar tais “esquecimentos” de mentiras grosseiras, ditas por despudorados aldrabões.

A propósito do caso PT/TVI, Sócrates disse não ter sido informado do negócio e, mais tarde, de nada saber oficialmente. Em rigor, uma confusão ou um lapso de memória que pode acontecer a qualquer pessoa. Para mais, o Primeiro-Ministro já tem tantas outras coisas com que se preocupar …

Mais recentemente, soube-se que Paulo Rangel, um dos candidatos à liderança do PSD, já foi filiado no CDS, de 1996 a 1999, mas, segundo disse, não se recordava disso. "Nunca escondi a ligação ao CDS, apenas afirmei que não me recordava de me ter filiado". Estão a ver? Rangel não se lembra de ter conta aberta no CDS mas, por outro lado, recorda-se perfeitamente de ter escrito a carta de renúncia que enviou em 30 de Março de 1999. Ou seja, não tem a certeza se assinou mas garante que se desvinculou.

Do mesmo modo não se pode exigir a outros profissionais, por exemplo a engenheiros e mestres-de-obras, que se recordem do universo de procedimentos que têm que observar quando constroem casas. Há sempre a possibilidade de ocorrerem lapsos de memória, mesmo que, por causa deles, venham a resultar as derrocadas dos edifícios construídos. Como agora aconteceu no novíssimo Hospital de Cascais, inaugurado há uma semana, onde na zona de consultas externas caiu um tecto e se verificou uma inundação devido ao entupimento de um cano de água.

É o que eu digo, nestas coisas do cérebro, existem zonas ainda muito nublosas que fazem parecer estranhas certas atitudes. Por isso, recordo um artigo publicado numa revista científica que revela que jogar Tetris provoca efeitos positivos no cérebro.

Pois então, do que é que estão à espera? Joguem o Tetris, meus senhores.