sexta-feira, outubro 14, 2011

A Fada do Dente



Já que nos últimos dias tenho “viajado” um pouco pelo mundo da fantasia, do encantamento e das “modas”, aqui vai mais uma opinião pessoal (já começo a jogar à defesa) sobre uma moda que, nos últimos anos, tem tido mais visibilidade. Refiro-me à “Fada do Dente”, a tal que troca “dentes de leite” colocados por debaixo dos travesseiros das criancinhas por moedas ou presentes.

Embora ninguém saiba a data em que se descobriu que existia uma Fada tão boa, consta que a coisa já vem do tempo dos vikings, um povo nórdico que invadiu e colonizou grandes áreas do que é hoje a Europa, entre os séculos VIII e o XI. No entanto, são muitas as histórias que circulam desde o início do século XX e que criaram raízes – tradições – primeiro, curiosamente, nos Estados Unidos e no Canadá e, mais tarde, no Reino Unido e até em Portugal.

Mas se é uma tradição já tão antiga porque é que digo que virou moda? Apenas porque eu, já nascido em meados do século XX, nunca ouvi falar em “Fadas do Dente” nem, muito menos, tive qualquer presente quando os primeiros dentes começaram a cair. Fiquei apenas desdentado, acho que guardei por uns tempos “o primeiro” e esperei pacientemente a chegada dos dentes que estavam prontos a despontar.

Os tempos eram bem diferentes então. Para além da Fada do Dente, calculem que nem sequer sabíamos da existência do Pai Natal. Os presentes, para os que tinham a ventura de os receber, eram, tão-somente, uma graça do Menino Jesus. Outros tempos em que uma geração ficava realmente “à rasca” quando sofria com dores de ouvidos e nem tínhamos a mínima noção de que o nosso problema era uma otite.


1 Comments:

At sexta-feira, outubro 14, 2011 7:03:00 da tarde, Anonymous dentadas said...

Quando era pequeno não tinha a fada dos dentes, mas a foda dos dentes, que os sacanas de vez em quando doíam pró caraças.

 

Enviar um comentário

<< Home