quarta-feira, fevereiro 25, 2015

Os "novos" sacos de plástico ...



Sabíamos de há muito que a ideia mirabolante de pôr os portugueses a pagar 10 cêntimos por cada saco de plástico - para além de aspectos ambientais que se compreendiam - tinha sido arquitectada, fundamentalmente, para sacar mais umas massas à rapaziada. Estimou-se na altura que à volta de 40 milhões de euros. Ao fim e ao cabo mais um imposto, rotulado simpaticamente de "fiscalidade verde".

Mas, azar dos Távoras, depois de uma data de estudos que se fizeram sobre o assunto, o que as cabecinhas pensadoras não conseguiram atingir é que os privados, nomeadamente as grandes superfícies, deram sumiço aos sacos tradicionais e "inventaram" uns outros sacos (também de plástico) mais resistentes e maiores, que evitam o imposto e ... vendem-nos aos clientes. Ou seja, lá se foram os 40 milhões que o Fisco pensava arrecadar e aumentou o lucro dos empresários. Uma jogada de antecipação que destruiu o encaixe previsto.

E não fosse uma dor lombar com que fiquei por ter pegado em sacos enormes e pesados (antes o esforço físico era repartido por vários sacos), eu estaria ainda a rir da partida que os privados pregaram ao Estado. É que a medida aprovada, pouco ou nada tinha a ver com a defesa do ambiente. Queriam apenas mais dinheiro. Não foi desta mas, cuidado, eles não desistem ...