quinta-feira, março 01, 2007

Dois poemas de Sophia de Mello Breyner Andresen







Sophia de Mello Breyner Andresen


(1919 - 2004)


È considerada por muitos como a maior poetisa contemporânea de Portugal.

Um nome que se transformou em sinónimo de Poesia e de Musa da própria poesia.




MUSA



Aqui me sentei quieta


Com as mãos sobre os joelhos


Quieta muda secreta


Passiva como os espelhos




Musa ensina-me o canto


Imanente e latente


Eu quero ouvir devagar


O teu súbito falar


Que me foge de repente









LIBERDADE


Aqui nesta praia onde

Não há nenhum vestígio de impureza,

Aqui onde há somente

Ondas tombando ininterruptamente,

Puro espaço e lúcida unidade,

Aqui o tempo apaixonadamente

Encontra a própria liberdade.

1 Comments:

At sexta-feira, março 02, 2007 3:36:00 da tarde, Anonymous Paula said...

Infelizmente só agora tive oportunidade de ler estes poemas. Mas foi pena não o ter feito mais cedo, porque é sempre bom começar o dia a ler boa poesia!

 

Enviar um comentário

<< Home