sexta-feira, março 30, 2007

Um cartaz perigoso

Não gostaria de dar demasiado espaço à questão, a juntar àquele que os meios de comunicação social já fizeram, mas não posso deixar de me referir a um cartaz nacionalista agora aparecido no centro da capital, que apela à expulsão dos imigrantes em Portugal.

Por iniciativa do Partido Nacional Renovador (PNR) foi colocado no Marquês de Pombal, um sítio nevrálgico de Lisboa, com muita visibilidade e por onde passam diariamente milhares de pessoas, o tal cartaz que diz explicitamente

“Basta de Imigração – Nacionalismo é Solução – Portugal aos Portugueses”.

conjunto que é completado com a imagem de um avião com a legenda "façam boa viagem", ou seja, vão-se embora.


Esta campanha surge, curiosamente, dias depois de Salazar ter ganho o concurso da RTP “Os Grandes Portugueses”. E partindo a iniciativa de um pequeno partido que obteve nas últimas eleições pouco mais de dez mil votos, vem demonstrar que existe um desespero ultra-nacionalista que ofende profundamente não apenas os 400 mil imigrantes que diariamente constróem connosco o país e que são pessoas com direitos iguais aos dos emigrantes portugueses espalhados pelo mundo, mas também, a memória histórica dos portugueses, um povo tradicionalmente emigrante.

A mensagem nem sequer é nova e as frases são decalcadas das que a extrema direita francesa emprega para pressionar a saída de França dos muitos imigrantes estrangeiros, entre eles cerca de um milhão de portugueses.


É uma campanha injusta, xenófoba e racista, lançada precisamente no “Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades".


10 Comments:

At sexta-feira, março 30, 2007 8:59:00 da manhã, Anonymous Paula said...

Nem tenho palavras para descrever isto!

 
At sexta-feira, março 30, 2007 10:57:00 da manhã, Anonymous porcos no espaço said...

Realmente, que cartaz tão mauzinho. Não se arranjava uma direcção criativa melhor?

hahaha

 
At sexta-feira, março 30, 2007 11:09:00 da manhã, Anonymous MyGod said...

Mas eu tenho, Paula. Para mim, os factos a que estamos a assistir mais não são que a tentativa de renascimento do Estado Novo, de má memória. E a campanha de que agora se fala é promovida por um pequeno partido, cujo líder afirmou há dias que ninguém deve ter medo do PNR, exactamente porque é apenas um partido pequeno.

O meu receio é que as pessoas não entendam que o mundo mudou, que os espaços que antigamente correspondiam apenas e só a cada país, passaram a ser de todos os cidadãos independentemente das suas origens, e que esses cidadãos têm os mesmíssimos direitos dos naturais desses países que eles pretendem que sejam também seus.

Se as pessoas não compreenderem isso, então, os PNR por esse mundo fora, que são por enquanto minoritários, crescerão e as suas iniciativas poderão trazer-nos de volta pedaços da História que subjugaram e mataram tantos milhares de pessoas.

Como aconteceu em Portugal durante a longa ditadura que nos fechou ao mundo, e cujos resultados ainda estamos a sofrer enquanto país. E nós todos temos que ter consciência que essa ditadura existiu, temos a obrigação que estar informados sobre esse passado recente por forma a que ele não se repita.

 
At sexta-feira, março 30, 2007 11:35:00 da manhã, Anonymous olavretni said...

Ah, afinal está tudo bem, o cartaz não vai ser retirado. A Procuradoria-Geral da República diz que a mensagem lá escrita não preenche, por si só, os elementos típicos de ilícito criminal do artigo 240º. do Código Penal, que prevê e pune o crime de “Discriminação racial ou religiosa".

Quando se vive em democracia a coisa funciona assim, por mais perversa que ela seja. As leis devem ser cumpridas, goste-se ou não das tomadas de posição assumidas, por pessoas ou grupos, que se mostrem claramente xenófobas e racistas, como é o caso.

 
At sexta-feira, março 30, 2007 12:44:00 da tarde, Anonymous azul said...

Há cartazes políticos a propor medidas para uma série de outras situações. Este partido acha que a imigração prejudica a economia dos portugueses e defende isso em cartaz. Discordando ou não, têm o direito de o fazer.
Racismo, xenofobia? Acredito bem que as pessoas que colocaram o cartaz tenham essas características, mas o cartaz só por si não as tem.
Há leis que restrigem a imigração, não há? São essas leis racistas e xenofóbas? Se são, então que se acabem com elas já.

 
At sexta-feira, março 30, 2007 2:36:00 da tarde, Anonymous MyGod said...

Caro azul, eu já acredito no Pai Natal e penso que o meu amigo também não.

Acha mesmo que o cartaz não tem, em si mesmo, características xenófobas e racistas? Pois eu creio que as tem, exactamente como as têm as pessoas que foram mentoras do mesmo.

Quanto à imigração prejudicar a economia dos portugueses, que dizer então dos malvados dos portugueses que andam a prejudicar as economias de não sei quantos países onde estão emigrados?

 
At sexta-feira, março 30, 2007 4:13:00 da tarde, Anonymous azul said...

O cartaz não é racista, não discrimina, pretos, ciganos, chineses ou brancos.
Xenófobo, ok, poderá ser. Mas tal como eu disse, o país actualmente já tem leis que controlam a imigração, por isso assim podem ser consideradas xenófobas, pois discriminam com base da nacionalidade.
Não gosto do cartaz? Não. Sou o maior apologista de um mundo sem fronteiras.
Agora não tenho instintos censórios relativamente a este cartaz. Eu pessoalmente desprezo-o e pronto.
Mas até este ponto acho que as pessoas são livres de defenderem o seu ponto e vista.

 
At sábado, março 31, 2007 12:48:00 da manhã, Anonymous MyGod said...

Que se lixe o cartaz! Não passa de um cartaz tão mauzinho, como disse o porcos no espaço, que não merece que percamos mais tempo com ele. O que nos deve preocupar, isso sim, é a mensagem subjacente ao dito. E essa ninguém a negará, nem o azul, que ela é xenófoba e racista.

Na verdade, já temos leis que controlam a imigração, mas não é isso que, agora, está em discussão. Não, o problema reside no facto de que esse partido de extrema direita gostaria que os imigrantes em Portugal se evaporem, desapareçam, mesmo aqueles que estão legalizados ao abrigo das tais leis que temos e dentro das quotas definidas por elas. Percebem?

Mas uma das frases mais fortes que constam no cartaz (lá regresso ao cartaz) é aquela que diz “Portugal aos Portugueses”. Não podiam ser mais explícitos, ela diz, de facto, tudo. Em Portugal só os portugueses.

E eu acrescento, em Espanha, só os espanhóis, em França só os franceses, em África só os africanos, etc., etc., etc..

 
At domingo, abril 01, 2007 9:41:00 da tarde, Anonymous azul said...

OK, o cartaz revela que há pessoas estúpidas, xenófobas e que até têm um partido político.
Eu já o sabia.

 
At domingo, abril 01, 2007 11:11:00 da tarde, Anonymous Não é...mia said...

Aquele moço que manda nesse grupito de fascistas que quer mandar os imigrantes para os países deles, parece que se chama Pinto Coelho, sabem que ele estave emigrado no Brasil?

Ele há coisas ...

 

Enviar um comentário

<< Home