quarta-feira, junho 22, 2011

Chumbos só com a autorização dos paizinhos

Bem, eu nem queria acreditar quando li no “Diário de Notícias”: "Chumbar duas vezes só com autorização dos pais”. Tanto mais que o texto explicitava que “Para reter um aluno mais do que uma vez no mesmo ciclo, os encarregados de educação têm de autorizar”.

O quê, então os alunos estão-se a borrifar para os professores e para o que eles ensinam e os meninos, mesmo assim, vão-se safar do chumbo porque contam com a almofada de segurança dos paizinhos? Está tudo doido, é o que é.

E embora os representantes dos encarregados de educação digam que “os encarregados de educação devem ser escutados e responsabilizados pelos filhos”, o que se compreende e aplaude, já não consigo entender por que é que as escolas têm dificuldade em chumbar os alunos (que o merecem) caso os encarregados de educação não autorizem os ditos. Parece-me haver uma grande contradição. E há mesmo uma questão de princípio que eu gostaria de ver clarificada. São os encarregados de educação que devem ser escutados ou são eles que têm que ouvir o que os professores têm para dizer dos seus filhos – as críticas, as chamadas de atenção e as sugestões que entendam necessárias fazer?

E, naturalmente, surge a pergunta: E este imbróglio acontece porquê? Por medo, por cobardia ou, simplesmente, pelo facto de quererem atingir os objectivos a qualquer custo?

Com procedimentos destes já não fico admirado com o que aconteceu com o copianço generalizado dos alunos do curso de auditores de Justiça do Centro de Estudos Judiciários, a que nos referimos na passada sexta-feira. É que os exemplos já vêm de há muito.


1 Comments:

At sexta-feira, julho 01, 2011 12:31:00 da tarde, Anonymous Passosacorrer said...

http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/que-notas-sao-essas

 

Enviar um comentário

<< Home