terça-feira, setembro 13, 2011

Parlamento vai gastar menos no próximo ano



Eu não digo? Ainda ontem comentava que agora só se ouve falar em cortes da despesa do Estado e, hoje, cá estou eu de novo a abordar o mesmo tema. Desta feita refiro-me ao anúncio de que o Parlamento vai reduzir as suas despesas de funcionamento em 27%. Boa notícia esta.

E nada escapa aos cortes no Orçamento para 2012: a limpeza, os transportes, a publicidade, os combustíveis ou a alimentação. Mas se registo com satisfação essa notável redução da despesa não posso deixar de ficar preocupado ao pensar na forma como se vai conseguir diminuir no próximo ano 69% em “Limpeza e Higiene”. Menos 70 mil euros assim de um momento para o outro? Será que o corte vai ser do lado do papel higiénico ou será que vai haver menos água dos autoclismos? Ou será, ainda, que havia até aqui um despesismo imenso que ninguém controlava?


Esta redução drástica faz-me lembrar aquilo que aconteceu a uma colega minha. Saída de um divórcio complicado, cheia de dívidas (contraídas pelo ex-marido) e com duas filhas para cuidar, pediu apoio à assistente social da empresa. E essa “ajuda” veio em forma de “conselho”: “Olhe, comece por poupar na água. Em vez de tomarem banho todos os dias façam-no apenas uma vez por semana (!)”.


Pode ser que, na Assembleia, não se chegue a tanto. Pode ser que, tal como no cartaz acima, “os Srs. Cavalheiros” tenham cuidado para que a água não venha a inundar as casas de banho. Pode ser.


Mesmo tendo consciência que estes “cortes” não vão resolver o problema das contas públicas, o povo fica um pouco mais tranquilo ao saber que na casa que acolhe os seus representantes também existe a preocupação de poupar.