quinta-feira, setembro 04, 2014

Os professores e o "caus" ...



Na prova que permite o acesso à carreira docente para professores contratados com menos de 5 anos de serviço, 86% dos 10 220 professores passaram. Porém - e lá estou eu com a mania dos "porém", dos "se" e dos "mas" - fiquei preocupado com o facto de 63% dos professores (2 em cada 3) terem dado erros ortográficos, 67% erros de pontuação e 53% erros de sintaxe. O verdadeiro "caus", se é que me faço entender. É verdade que a prova tinha por objectivo avaliar o raciocínio lógico e critico e a capacidade de comunicação mas, concordarão comigo, em pessoas que se dispõem a ensinar, não nos descansa saber que muitos deles não sabem escrever nem, o mínimo dos mínimos, desconhecem completamente as regras e os princípios que regem a organização dos constituintes das frases. Isto para não falar, e isso não foi agora aferido, de que muitos professores não sabem a tabuada. Argumentarão, de que serve a tabuada para um professor de português ou de inglês? E eu, do alto das minhas décadas de vida, respondo que para o ensino da disciplina talvez não seja fundamental mas continuo a achar que, mesmo havendo umas máquinas que sabem fazer todas as contas, e que muitas outras pessoas também não sabem a tabuada, o facto de serem exactamente professores lhes confere uma responsabilidade acrescida.

Quanto aos que deram erros de ortografia dizem por aí que muitos dos professores se desculparam com a confusão provocada pelo acordo ortográfico. A ponto de escreverem em rodapé "escrito de acordo com o novo acordo ortográfico e também de acordo com antiga ortografia". É de Mestres!