sexta-feira, setembro 11, 2009

As lavagens



Mesmo sem ligar demasiado a alarmismos e pânicos doentios, a verdade é que a gripe A (ou Suína como continuam a chamar-lhe em muitos países), à velocidade que se tem propagado, prepara-se para atacar cada vez com mais intensidade. E o Outono e o Inverno que se aproximam, supostamente com temperaturas mais baixas, vão ajudar à festa.


Embora se saiba que existe uma encenação apocalíptica sobre as consequências provocadas pela doença - levada a cabo pelas grandes farmacêuticas para sacarem enormíssimos lucros - ainda assim, penso que a maioria da população se sente um pouco mais confortável ao ouvir o Governo falar em todo o rol de medidas que estão pensadas para travar a epidemia, todos os planos de contingência, todos os avisos e todas as precauções nas empresas, nas escolas, na administração pública e até nas equipas de futebol.


Em nome da prevenção, devem-se evitar os contactos sociais (mormente os apertos de mão e os beijinhos) e fugir dos locais com muita gente. A recomendação principal, no entanto, vai para a lavagem das mãozinhas sempre que possível. Lavagem, aliás, é uma das palavras mais pronunciadas actualmente.


Mas, pensem bem, e quanto ao dinheiro, ao seu manuseamento, o que devemos fazer? Querem coisa mais nojenta e que passa de mão em mão?


Solução: Lavar o dinheiro? Não, não se precipitem. É que, perante a lei, a lavagem de dinheiro é crime.


Ou será que estamos a falar de lavagens diferentes?