quinta-feira, maio 12, 2011

"Primeiro estranha-se, depois entranha-se".

No último domingo comemorou-se o primeiro dia em que a Coca Cola foi vendida ao público. Passaram precisamente 125 anos (08.05.1886). Longe de se pensar que viria a ser a bebida que hoje conhecemos, começou a ser vendida numa farmácia como um xarope que fazia bem a uma série de maleitas.


Em Portugal, Salazar proibiu a venda do produto e só em 1976 foi permitida a sua comercialização. Dizem as estatísticas que hoje cada português bebe em média 24 litros de Coca-Cola por ano.


Mas o que acho mais interessante no que à Coca Cola diz respeito é o facto de poder recordar Fernando Pessoa, o poeta genial e o publicitário que também foi. Quando o refrigerante entrou no mercado português, Pessoa criou um slogan que fez as vendas do produto subirem em flecha:


"Primeiro estranha-se, depois entranha-se".


Porém, o regime de Salazar com receio do sucesso que, diziam, poderia esconder uma sociedade secreta, proibiu a sua representação em Portugal. A Direcção de Saúde de então entendeu que a frase publicitária era “o próprio reconhecimento da sua toxidade”.


Novos tempos e outras mentalidades vieram e o que ficou para a História, no entanto, foi uma das mais conhecidas e mais recordadas frases de sempre.