quinta-feira, novembro 17, 2011

Corrigiu-se um erro a tempo



Quando no passado dia 19 de Outubro eu escrevia aqui sobre a possibilidade de Portugal vir a receber no próximo ano só uma pequena parte daquilo que o “Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados – PCAAC” nos costuma atribuir, fazia-o deveras preocupado. Por um lado, porque aumentou muito o número de pessoas que recorrem às Instituições de Solidariedade Social para matar a fome e, por outro, porque a quantidade dos alimentos doados tem sido significativamente menor. Pensava-se, na altura, que essa medida poderia vir a afectar mais de 400 mil portugueses.


Felizmente, a minoria de bloqueio formada pela Alemanha (sempre ela), Reino Unido, Suécia, Dinamarca, Holanda e República Checa recuaram na sua intenção de reduzir drasticamente o apoio a milhões de pessoas sem capacidade para satisfazer uma das mais básicas necessidades – a de comer.

O PCAAC vai continuar nos dois próximos anos (para já) e vai abranger 18 milhões de europeus. Corrigiu-se um erro a tempo. Ainda bem.