quarta-feira, outubro 01, 2014

As novas do Novo Acordo Ortográfico ...



A história mal contada do novo acordo ortográfico, em que "embarcámos" para fazer jeito aos brasileiros, está longe de chegar ao fim. Aliás, já nem sei se os próprios brasileiros querem, ou não, levar por diante o que tinha sido combinado. E sinto isto por que, há semanas, vi uma notícia que me deixou perplexo. Então não é que os nossos irmãos brasucas já começaram a pensar em novas alterações que irão desfigurar, ainda mais, a ortografia portuguesa?

Muito embora a Presidente brasileira Dilma tenha resolvido suspender a entrada em vigor do AO até 2016, o facto é que um denominado "grupo técnico" nomeado pelo Senado brasileiro já fez o trabalho de casa e lançou uma série de novas alterações, de que vos damos alguns exemplos (vejam o antes e o depois):

Hotel - Otel, Hoje - Oje, Humor - Umor, Chá - Xá, - Macho - Maxo, Blusa - Bluza, Exemplo - Ezemplo, Êxito - Êzito, Exigente - Ezigente, Existir - Ezistir, Açúcar - Asúcar, Pescoço - Pescoso, Auxílio - Ausílio, Música - Múzica ... e por adiante.


Uma verdadeira barbaridade. O apocalipse!

Só espero que alguns génios (imbecis?) cá do sítio não vão na conversa e tornem a aceitar mais uma facada na língua portuguesa, um projecto completamente absurdo e que nunca devia ter visto a luz do dia. É que, a ser aprovado, veremos num futuro próximo coisas como "homens honestos se tornarem em omens onestos". Eu sei que a honra já viveu melhores dias mas de honra passar para onra, é demais. E não estou a ser demasiado "Ezigente", pois não?