quinta-feira, maio 17, 2007

Ovos


Nem toda a gente tem a sorte de ter a habilidade ou o gosto de cozinhar. Para muitos o simples facto de passar perto do fogão é um declarado acto de tortura.

Assim, e para dar resposta a milhares e milhares de sofredores, o mercado preparou-se devidamente e pôs à venda comida já cozinhada, enlatada ou não, yogurtes, gelados, amendoins, bolachas e similares que, para além de evitar as desnecessárias perdas de tempo que o acto de cozinhar comporta, impede o avolumar de frustrações que o não saber cozinhar quase sempre provoca.

Para além disso, existem umas máquinas que resolvem muitos dos problemas das tais pessoas que não sabem ou não gostam de cozinhar, os chamados “microondas”, talvez uma das maiores descobertas dos finais do século passado.

No entanto, há sempre quem insista e queira aprender a fazer umas “especialidades”, quanto mais não seja para impressionar os amigos. Simples, para começar e, a pouco e pouco, cada vez mais elaborados, com a ajuda das mães, das colegas e da aquisição de revistas de culinária.

Normalmente principia-se pelo básico. Pela abertura de umas latas de atum para acompanhar uma saladita de tomate, ainda que, por estarem no princípio, ainda não saibam condimentar devidamente a salada com uma série indeterminável de especiarias que são vendidas por todo o lado. Para lá, é claro, de terem alguma dificuldade em abrir as próprias latas.

Depois, aventuram-se um pouco mais e começam a fazer um arrozito que serve de acompanhamento aos ovos mexidos.

Os ovos estrelados e escalfados são o passo seguinte. Muitas vezes, no entanto, são o último passo, porque a partir daqui, muitos milhares desses aspirantes a cozinheiros decidem inverter o caminho e voltar aos yogurtes, aos gelados e às bolachas.

Mas é exactamente para essas pessoas que chegaram ao degrau dos ovos estrelados e escalfados, e nomeadamente para estes últimos, que eu quero hoje trazer uma palavra de esperança.

É que, uma empresa britânica promete tornar mais fácil a tarefa de escalfar ovos, estando para isso a desenvolver uma tecnologia que indica quando os ovos estão no ponto certo de cozimento.

O chamado “ovo auto-cronometrado” tem um selo especial impresso na sua casca, que é invisível quando o ovo está cru mas que aparece em cor preta quando ele já está cozido.

Com esta inovação, os consumidores começarão a ter três opções de ovos: mole, médio e duro, que equivalem, respectivamente, a cozimentos de três, quatro e sete minutos.

Como vêem, esta nova tecnologia que está já em fase de teste, promete facilitar a vida de muitos. E, quem sabe se, uma vez ultrapassada esta “barreira”, alguns se entusiasmem a ir um pouco mais longe e, com o tempo, chegarem a ser mestres na difícil arte de cozinhar.

Tanto mais que, finalmente - e isto para as pessoas que se preocupam com os problemas metafísicos - foi dada a resposta à eterna dúvida de saber quem nasceu primeiro, se o ovo se a galinha. Agora já se pode afirmar com toda a segurança, que Deus criou primeiro o ovo, mas com instruções detalhadas e todas as coordenadas para, depois, se tornar galinha.

1 Comments:

At quinta-feira, maio 17, 2007 2:32:00 da tarde, Anonymous porcos no espaço said...

Estou a ver o futuro:

microondas com memória e CPUs avançados. Mete-se uma caneca de água da torneira, digita-se o prato que se quer, 3 segundos e PAM! - um bacalhau com natas.

 

Enviar um comentário

<< Home