quarta-feira, maio 09, 2007

Outra forma de dizer a coisa ...


Consta que havia um cego sentado numa calçada em Paris, com um boné a seus pés e um pedaço de madeira escrito com giz branco, que dizia:

"Por favor, ajudem-me, sou cego".

Um jovem publicitário, que passava junto a ele, parou e viu que o boné apenas recebera umas poucas moedas. Sem pedir licença ao cego, pegou no cartaz, virou-o e escreveu um outro texto no pedaço de madeira.

Voltou a colocá-lo aos pés do cego e foi-se embora.

Pela tarde, o publicitário voltou a passar em frente ao cego que pedia esmola. Agora, o seu boné estava cheio de notas e moedas.

O cego reconheceu as pisadas e perguntou-lhe se havia sido ele quem tinha reescrito o seu cartaz e, sobretudo, o que ele lá tinha escrito.

O jovem respondeu: "Nada que não estivesse de acordo com o que lá estava escrito, mas com outras palavras.
Sorriu e continuou seu caminho.

O cego nunca chegou a saber, mas seu novo cartaz dizia:

"Hoje é Primavera em Paris, e eu não posso vê-la".

5 Comments:

At quarta-feira, maio 09, 2007 9:05:00 da manhã, Anonymous Paula said...

Bonito...

 
At quarta-feira, maio 09, 2007 10:36:00 da manhã, Anonymous oaiolinda said...

Lindo!

E é notável como a sensibilidade de uma pessoa pode conter tanta poesia!

 
At quinta-feira, maio 10, 2007 12:46:00 da tarde, Anonymous porcos no espaço said...

Deve estar um burro para morrer. Então agora já achas que a publicidade poder eventualmente fazer a diferença?


HAHAHA

 
At quinta-feira, maio 10, 2007 1:48:00 da tarde, Anonymous demascarenhas said...

Não tive a intenção de falar na publicidade, mas sim na poesia e na sensibilidade.

O que aconteceu é que, neste caso, o agente, era um publicitário ... sensível!

 
At quarta-feira, maio 16, 2007 4:05:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Conheço alguém que leva a essa história para entrevistas de trabalho.

 

Enviar um comentário

<< Home