terça-feira, fevereiro 05, 2013

Está a ficar insuportável ...

 
Para os cidadãos comuns pouco interessa se o nosso país conseguiu mais credibilidade junto dos nossos credores internacionais. O que sabem é que a o dia-a-dia está a ficar cada vez mais insuportável e não chega o pouco dinheiro que ganham com os seus ordenados, pensões ou subsídios. Esta é a realidade, estas são as pessoas que sofrem e que se angustiam por falta de esperança .

Depois de quase dois anos de enormes sacrifícios pedidos aos portugueses, aquilo que sentimos não é a alegria de termos (ainda que devagarinho) regressado aos mercados. O que nos aflige - e ainda agora a procissão vai no adro - é a constatação que a nossa vida está cada vez pior e, usando uma frase popular, "aquilo com que se compram os melões", não estica nem para comprar os melões, nem os remédios, nem a comida, nem os produtos mais básicos para a subsistência.

72% dos cidadãos portugueses têm dificuldade em pagar as suas contas no final do mês. Na União Europeia, pior do que nós só mesmo a Bulgária e a Grécia, embora isso não nos sirva de consolo.

E como se não chegasse tamanha "tragédia" ainda temos que ouvir pessoas como Fernando Ulrich, o Presidente do BPI, dizer alarvidades como: "... se os sem-abrigo aguentam, porque é que nós não aguentamos?". Justamente o Presidente de um Banco que recebeu uma injecção de capital do Estado e que, em 2012, apresentou lucros de 249,1 milhões de euros. Não é a primeira vez que Ulrich (certamente bem longe de ser um sem-abrigo) manifesta uma tão clara falta de consciência social. A nossa paciência esgota-se com este tipo de gente e não sei até quando conseguiremos "aguentar". De facto, isto está a ficar insuportável ...