terça-feira, fevereiro 19, 2013

Quando o povo canta na Assembleia da República


Os cidadãos manifestam os seus protestos e descontentamentos do modo mais diverso. O povo é sereno (diz-se) mas quando a revolta se solta vem, às vezes, em forma de cânticos. E foi muito reconfortante ver e ouvir nas galerias da Assembleia da República o entoar de "Grândola Vila Morena" (uma das senhas para a nossa liberdade), quando Passos Coelho discursava durante o debate quinzenal. A força das palavras cantadas sobrepôs-se ao discurso político. Passos ouviu, de cabeça baixa, engasgou-se e passou à frente, enquanto o povo cantava de cabeça erguida. Ao ouvir a canção do Zeca, entoada daquela forma vibrante, voltei a sentir esperança.

 
Pena foi que, naquele momento tão lindo, a Presidente da AR tivesse dito que "as pessoas não se podem manifestar, sobretudo nestas condições" (!!!). Uma "nota desafinada" naquela ocasião tão cheia de significado.