sexta-feira, maio 18, 2012

“Péra aí!”


Embora estas questões do trabalho tenham mais a ver com o Ministro da Economia (o nosso Álvaro, Ministro da Economia e do Emprego), a verdade é que quem mais dá a cara, não pelo trabalho em si mas pelo desemprego, é Pedro Mota Soares, titular da pasta da Solidariedade e da Segurança Social. Esforçado como parece ser, tem afirmado insistentemente que "O desemprego é o maior problema do Governo". E acredito que seja mesmo uma das suas maiores dores de cabeça.

Contudo, as preocupações excessivas, toldam-nos muitas vezes as ideias. Então não é que Mota Soares vai propor aos parceiros sociais que “se possa acumular o subsídio de desemprego com rendimentos de trabalho”?

“Péra” aí! Mas afinal, o subsídio de desemprego não é para quem está desempregado? Então, como podem os desempregados acumular o seu subsídio de desemprego com rendimentos de trabalho, se eles estão desempregados? Ou, virando as coisas ao contrário, como é que um trabalhador pode juntar aos seus rendimentos de trabalho o subsídio de desemprego, se ele está a trabalhar?

A ideia é capaz de ter algum fundamento, mas a explicação que foi dada à populaça é completamente abstrusa. Como se tem verificado (com muita frequência, nos últimos tempos), a comunicação não é, de facto, um ponto forte deste Governo.

1 Comments:

At sexta-feira, maio 18, 2012 10:29:00 da manhã, Anonymous Fernando Gomes said...

Mais uma situação passível de ser enquadrada na nossa tão já conhecida “Contra-informação”. Perante tal situação, não posso de deixar de fazer dois comentários. O primeiro passa obviamente por um “post” já aqui colocado, e que versa sobre as declarações do nosso Primeiro-ministro Passos Coelho. É engraçado como Pedro Mota Soares tem afirmado insistentemente que “o desemprego é o maior problema do Governo”, quando o PM diz que é uma oportunidade para as pessoas mudarem de vida, não sendo propriamente um “mal. Pergunto, mas que raio, como poderá Portugal evoluir, se as “alminhas” que estão no Parlamento a tomar decisões não se entendem e não caminham todos na mesma direcção? Quanto ao segundo ponto, confesso que tenho muitas limitações cognitivas, e de facto não entendo como poderá alguém estar a receber ao mesmo tempo o subsídio de desemprego e os rendimentos de trabalho. Bom, claro, que cabeça a minha, claro que isso poderá ser possível, mas apenas para algumas pessoas, nomeadamente os amigalhaços da classe política. Agora a sério, fico à espera que alguém me consiga explicar como é possível uma pessoa receber estes dois subsídios. Das duas uma, ou quando esteve desempregado não recebeu o subsídio por atrasos administrativos, e só o recebeu agora quando já está a trabalhar (o que é ridículo), ou o nosso amigo Paulo Futre tem toda a razão quando diz que “Neste País vale tudo”. Enfim, como diria um dos nossos políticos “há vida para além da austeridade”, e prova disso são de factos os inúmeros disparates proferidos pela nossa classe política, que às vezes nos fazem rir, e mesmo em determinadas alturas chorar…

 

Enviar um comentário

<< Home