terça-feira, março 12, 2013

É uma pena ... uma padaria histórica em risco de destruição


 
Já aqui escrevi diversas vezes que me sinto muito mais tranquilo desde que existe a ASAE. Apesar das recentes notícias sobre as aldrabices dos compostos alimentares à base de carne, as regras que, nas últimas décadas, foram implementadas para a melhoria das condições sanitárias dos alimentos que consumimos, só podem deixar-nos mais descansados.

Porém, não exageremos na fórmula. Como costumo dizer, regras em demasia fazem-me azia e, em nome de tanta segurança, podem destruir-se, pelo exagero, outras coisas igualmente importantes.

É o caso de uma padaria Art Déco - uma autêntica raridade - que existe em Lisboa desde 1933, cujo balcão, intacto e em óptimas condições, em pedra lioz e mármore, pode ter de ser destruído por não ser refrigerado.

A padaria, da autoria do engenheiro Pedro Nunes, está intacta e é revestida de azulejos da famosa Fábrica Lusitânia, com motivos Art Déco, incluindo dois painéis ovalados retratando o fabrico de pão e criados especificamente para este estabelecimento. Os mosaicos do pavimento, os estuques do tecto e a frente de loja com montras em caixilharias de ferro são outros elementos decorativos que representam o período Art Déco.

Modernidade sim, mas com conta, peso e medida. Por isso se pede bom-senso e que as novas leis da Segurança Alimentar não sejam cegas e indiferentes a esta delapidação artística da, muito provavelmente, única Padaria Art Déco que resta na capital, com este nível de autenticidade e qualidade artística.