segunda-feira, abril 30, 2007

Um barbeiro previdente

Como se sabe, o Eça de Queiroz escrevia de uma forma clara e fácil, de forma a que todos pudessem entender. O mesmo não acontece com muitos escritores, cineastas, dramatugos e outros artistas que tais, que depois do seu processo de criação, as suas obras apenas são entendíveis por eles próprios, e, quando muito, por mais uns quantos pseudo-intelectuais.

O mesmo se passa com os escritos e relatórios que são elaborados em muitas empresas, que deveriam ser lidos por vários destinatários mas que, infelizmente, os respectivos textos, por tão complexos e arrevesados que são, não chegam a ser percebidos por esses receptores.

A mesma coisa se pode dizer de muitas leis que são tão pouco claras que nem os próprios juristas conseguem chegar a um acordo quanto à sua interpretação.



Mas porque o senhor José Bonito Gomes, distinto barbeiro em Beja, quis escarrapachar preto no branco o que queria realmente transmitir aos seus clientes, e para que não restassem quaisquer dúvidas, não foi de modas e arranjou um cartaz que até pode não ser muito artístico, mas que não podia ser mais claro.




Porque a imagem pode não ser suficientemente visível para se perceber o que lá está escrito, reproduzo o que o Sr. José Bonito escreveu:

Sábados - estou aqui das 9,30 h da manhã até às 07,30 h da tarde.

Domingos - estou aqui das 9,30 h da manhã até às 02,00 h da tarde.

Feriados - estou aqui das 9,30 da manhã até >às 02,00 h da tarde.

2ª Feira - chego aqui às 7,00 h da tarde e estou até às 08,30 h da noite.

3ª Feira - chego aqui às 7,00 h da tarde e estou até às 08,30 h da noite.

4ª Feira - chego aqui às 7,00 h da tarde e estou até às 08,30 h da noite.

5ª Feira - chego aqui às 7,00 h da tarde e estou até às 08,30 h da noite.

6ª Feira - chego aqui às 2,30 h da tarde e estou até às 3,15 h da tarde,

depois saio ao cabrito só chego às 7,00 h da tarde e estou

até às 8,30 h da noite.

. AMIGO CLIENTE, SE NÃO ESTIVER AQUI NA BARBEARIA POSSO ESTAR EM MINHA

CASA, EM CASA DO MEU IRMÃO OU NO CAFÉ DA CELESTE. OU CASA DO PAI.

. SE ME FOR CHAMAR A MINHA CASA, A CAMPAINHA ESTÁ POR BAIXO DA CAIXA DO

CORREIO.

Nem o Eça de Queiroz, que não era de Beja mas da Póvoa do Varzim, teria feito melhor!

3 Comments:

At segunda-feira, abril 30, 2007 1:24:00 da tarde, Anonymous porcos no espaço said...

Espera lá, eu acho que o homem está a tentar esconder-nos qualquer coisa.

No café da Celeste, costuma estar à mesa ou ao balcão?

 
At segunda-feira, abril 30, 2007 3:29:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Bem vistas as coisas o nosso amigo fígaro está em consonância com aquilo que se pede aos trabalhadores actuais: completa disponibilidade.
Só que aqui, provavelmente, o negócio é dele e os lucros são directamente embolsados.
Ao passo que nós por conta de outrém...

 
At terça-feira, fevereiro 15, 2011 3:42:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Pedindo desculpa pela correcção mas, mesmo que numa brincadeira, o seu deverá ser a seu dono e quem é tão disponível para os seus clientes merece a consideração. O indicativo telefónico 241 é da zona de Abrantes/Santarém.
Beja é um pouco mais abaixo.
Bem que muitos serviços poderiam ser tão disponíveis.

 

Enviar um comentário

<< Home