quarta-feira, abril 04, 2012

Condecorações


Já aqui escrevi uma vez que, um dia, gostaria de ser condecorado. Ainda não sei que razões poderiam estar na base dessa distinção, mas isso é o de menos. Acho que uma condecoraçãozita (a de comendador, por exemplo) me assentaria como uma luva.
Temo, porém, que esse dia não chegue. Tanto mais que se soube agora que José Sócrates se arrisca a ser o único primeiro-ministro (dos 19 governos institucionais em Democracia) a não receber a máxima condecoração (a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo) atribuída por destacados serviços prestados ao país.
Independentemente de se saber se ele prestou, ou não, alguns serviços ao país, e se os mesmos foram bons ou maus, e destacados ou não, parece-me injusto - agora que o homem já perdeu eleições e está exilado (!!!) em Paris – dizer-se que foi ele o culpado de tudo o que nos está a cair em cima da cabeça. Creiam que não é minha intenção promover aqui uma discussão política mas, pelo menos, gostaria que considerassem duas possibilidades:
- que o Governo de Sócrates  possa ter feito algumas coisas boas; e
- que as responsabilidades de todas as eventuais malfeitorias possam ser imputadas a vários Governos e aos respectivos Primeiros-Ministros. PM’s esses que, apesar de tudo, receberam (exceptuando Sócrates) as suas Grã-Cruz, incluindo Santana Lopes que só esteve à frente do Governo uns escassos meses.
A situação preocupa-me, naturalmente. É que não sendo cumprida a tradição de décadas de condecorar (todos) os Chefes do Governo, como vou, então, - eu, um ilustre anónimo e pagador de impostos a horas – acalentar a esperança de um dia poder ser agraciado com uma condecoração?

1 Comments:

At segunda-feira, abril 09, 2012 10:29:00 da manhã, Anonymous Porcos no Espaço said...

Sócrates deve ter sido mesmo muito mauzinho. É que se até Salazar foi considerado o melhor português de sempre...

 

Enviar um comentário

<< Home