segunda-feira, abril 09, 2012

Já está confirmado: a seguir a 2014 virá 2015


Passei uma Páscoa desconfortável. O tempo até esteve bom mas fiquei muito inquieto nos últimos dias com as sucessivas trapalhadas em que o Governo se mete. Aquilo que os governantes dizem mas que (ao que parece) não queriam dizer, os enganos (uns atrás dos outros), as contradições e as nossas más-interpretações (!) do que escutamos das bocas de ministros e secretários de Estado parecem fazer-nos passar por tolos.

Não viram como a decisão de suspender os subsídios de férias e de Natal em 2012 e 2013 já foi revogada e está previsto que a reposição desses subsídios (diz-se que apenas 20% deles) só venha a acontecer em 2015? E ainda assim de forma gradual (???), como admitiu Passos Coelho.

 Isto para já por que, lá mais para a frente, voltarão a pensar no assunto. Dá até a impressão que 2015 será o ano de todas as soluções. Lembro, porém, que em 2015 há eleições.

 Foi, de facto, uma Páscoa desconfortável. Amenizada, contudo, pelo convívio com a família, pela excelente borrego assado no forno à moda do Alentejo e, principalmente, pela frase profética e assertiva de Vítor Gaspar, proferida no Parlamento:

“… o ano de 2015 é o ano imediatamente consecutivo a 2014 ...”

1 Comments:

At quarta-feira, abril 11, 2012 9:06:00 da manhã, Anonymous Anocas said...

Ora bem, uma afirmação tão verdadeira como aquela que a Lili Caneças proferiu certo dia: "Estar vivo é o contrário de estar morto"...

 

Enviar um comentário

<< Home