sexta-feira, outubro 12, 2012

Como se educa uma criança




Conhecem, certamente, aquela história de um homem que tinha sete teorias sobre como educar os filhos. Depois, teve sete filhos e ficou sem teoria nenhuma.

Pois é! Convenhamos que educar crianças não é fácil. E por uma série de razões que vão desde a falta de aptidões para a tarefa dos próprios educadores (pais e/ou outros) às características específicas de cada criança. Ainda por cima elas não vêm com um manual de instruções e continua a não existir regras uniformes de aplicação à totalidade dos miúdos. Acaba por ser um pouco “cada caso é um caso”.

Por isso não resisti a partilhar convosco uma cena a que assisti num restaurante. A criança, com um ou dois anos de idade muito irrequietos, almoçava à mesa com a família. De repente (e isto com as crianças é mesmo de repente), dá-lhe uma birra daquelas e desatou num berreiro danado. Provavelmente o sono estava ali para as curvas e vá de chorar que não havia chucha que o calasse. O pai levantou-se de um salto, arrancou o miúdo (arrancou-o da cadeira, literalmente), sem qualquer delicadeza e zás, encostou-o a uma parede do restaurante de cara voltada para a dita. O berreiro continuou forte por mais uns escassos minutos e a criança manteve-se sempre na posição em que fora “plantada” sem que os demais lhe ligassem peva. De súbito, o choro parou, o miúdo (ainda na mesma posição) voltou a cabeça para a sala do restaurante e a sua carinha bonita e os olhos maravilhosos, aparentavam uma calma como nada se tivesse passado. O pai pegou nele e voltou a colocá-lo no seu lugar à mesa. O almoço continuou e toda a família pôde terminar a refeição em paz.