segunda-feira, outubro 01, 2012

A Arrogância



Eu não gostei, os empresários não gostaram, muitos militantes e responsáveis do PSD e do CDS também não gostaram e, acho eu, que ninguém de bom-senso deve ter gostado de ouvir o conselheiro do primeiro-ministro para as privatizações - António Borges - dizer a uma plateia de empresários portugueses e estrangeiros:

“Que a medida (TSU) é extraordinariamente inteligente, acho que é. Que os nossos empresários, que se apresentaram contra a medida, são completamente ignorantes, não passariam no primeiro ano do meu curso da faculdade, isso não tenham dúvida”.

Uma arrogância desmedida!
 
É que é inacreditável como os nossos empresários, de tão burros que são, não conseguiram compreender esta "medida extraordinariamente inteligente", saída da cabeça iluminada de António Borges. Os tais empresários burros que são (na maioria) gente esforçada, que cria emprego e gera riqueza. E é, também, inacreditável que sendo uma medida de tamanha qualidade ela não tenha sido posta em prática pelo Governo.
O Presidente da CIP, António Saraiva, respondeu de pronto:
“Se tivéssemos que reagir emotivamente a estas declarações de António Borges (que foram infelizes e excessivas), se calhar a maioria dos empresários portugueses também não o contrataria, não passaria na selecção dos recursos humanos das empresas, porque só tem um determinado conhecimento e não tem uma visão alargada”.
Mas a reacção com a qual mais me identifiquei foi a de Daniel Oliveira que escreveu:

"Pior do que um idiota é um idiota atrevido. Pior do que um idiota atrevido é um idiota avençado".
Contudo, não nos esqueçamos que António Borges - que é "apenas" um contratado (a quem pagamos muito bem), não faz parte do Governo e não foi eleito por nenhum de nós - tem o poder de aconselhar/decidir a forma como as nossas principais empresas vão ser desbaratadas. A exemplo do que já aconteceu com outras recentes privatizações. A não ser que alguém tenha a coragem de o mandar embora rapidamente.